23/02/2013


Resenha: 72 Horas para Morrer

1
Olá pessoal, tudo bem??
Hoje trago para vocês a resenha do livro 72 horas para morrer do nosso autor parceiro Ricardo Ragazzo!!
Quero agradecer a oportunidade pela leitura e dizer que simplesmente foi um dos melhores livros que li!!
Vamos conferir então..


INFORMAÇÕES DO LIVRO:
Edição: 1
Editora: Novo Século
Ano: 2011
Páginas: 254

Skoob: 5/5







Começo essa resenha falando o quanto esse livro me surpreendeu, eu não esperava que fosse gostar tanto assim dessa história, vamos conhecer um pouco mais sobre ela.
Julio Fontana é o delegado da cidade de Novo Salto, ele mora com sua filha Laura de 18 anos, tudo na vida dos dois é muito normal, até o dia em que o delgado encontra o carro de sua namorada, abandonado em frente a um posto de gasolina.
Dentro dele encontram um pen drive com uma filmagem de sua namorada Agatha sendo seqüestrada e dando a noticia que ela está grávida.
A partir desse momento Julio fica desesperado para encontrar Agatha e faz te tudo para que tenha alguma pista sobre onde ela está. O perito Patrício que trabalha junto com o delegado, fala para ele onde seria a casa em que os seqüestradores possam ter levado Agatha.
O delegado Julio chega na casa que Patrício lhe falou junto de mais 2 policias e quando entra no porão da casa não acredita que encontra sua namorada morta dentro de um freezer e seu filho em um vidro com formal na mão dela. Julio fica muito abalado, mas desse momento em diante tudo vai mudar em sua vida e na vida de sua filha Laura.

(...) Lá estava ela. Meu amor. Minha namorada. Minha Agatha. Dentro de um freezer, como se fosse um pedaço de carne. No rosto, ficara congelada uma expressão de medo e desespero. Não vi mais nada. Apenas quis tirá-la dali. Ao encostar em seu corpo, senti a pele totalmente enrijecida. Quando a levantei, senti diferença no peso. Agatha parecia mais leve. Oca. Coloquei-a no chão com cuidado. Não sabia o que dizer, o que pensar. Passei as mãos em seus cabelos sem saber que o pior ainda estava por vir. Ao ver Agatha, meu desespero foi tamanho que nem percebi um jarro de vidro grudado nas palmas de suas mãos, quase todo cheio de formol. (...)


Não imaginei que o livro começaria logo de cara com um assassinato bem cruel e daqueles que você fica imaginado a cena todinha e que poderia muito bem ser um filme de suspense/ terror, sou suspeita para falar desses gêneros pois adoro tudo que contenha muito suspense.
Fora isso Laura a filha do delegado conhece Miguel um ex- presidiário que tem um passado que envolve seu pai Julio e ela acaba se apaixonado por ele e obviamente seu pai não aprova de jeito nenhum.
Julio sempre desconfiou que Miguel tivesse alguma coisa a ver com o assassinato de Agatha, pois os dois tem um passado meio conturbado e faz de tudo para que sua filha fique longe dele, mas como ela é bem teimosa e sempre faz o que quer é bem difícil de isso acontecer.
O livro é muito fácil de ler e rápido, li esse livro em apenas duas noites, e fiquei com aquela sensação de ter ficado órfão de um livro muito bom.
Nesse livro tudo acontece, conforme você vai lendo e fica intrigado e querendo saber quem é esse assassino e o que vai acontecer após o assassinato de Agatha, será que vai ter mais algum, e se tiver de que forma será?? Foi isso que fiquei pensando em quanto lia o livro.
O desfecho dessa história é inacreditável, mas é obvio que não vou contar, senão perde a graça, mas quer um conselho?? Corra comprar seu exemplar de 72 horas para morrer, garanto que não vai se arrepender, vale super a pena ler e em nenhum momento eu quis largar a leitura, pelo contrário, queria ler o livro toda hora!!

(...) Há certas coisas na vida que nos marcam para sempre. Situações que penetram nossa pele criando crostas duras e ásperas como as que aparecem nas pedras banhadas pelo oceano – do tipo que nos fazem acordar suados, no meio da madrugada.
O que vi naquela dispensa, certamente tomaria muitas das minhas madrugadas.
No chão ensangüentado estavam deitados mãe e filho. O cheiro podre de decomposição começava a invadir o ar, agora que a porta tinha sido aberta. (...)


Então pessoal, o que acharam da resenha?? Esse livro merece um lugar especial na sua estante com certeza, super recomendado!!
E mais uma vez muito obrigada Ricardo Ragazzo!!
Comentem, façam uma blogueira feliz :)
Beijus
Camila Mazzetto

1 comentários:

Lú Miranda disse...

Assassino cruel? huuum, não sei se leria, sou muuuito medrosa. rasrs
kkkkkkkkk
Mas que bom que ele é de suspense e não terror, apesar de suspense me dá calafrios. kk
Passa no meu blog? Adoro vim aqui.

clicandolivros.blogspot.com

Postar um comentário

 

Leituras da Cá Copyright © 2009 Girl Music is Designed by Ipietoon Sponsored by Emocutez